PRODUTOS

Em respeito ao cliente, trabalhamos somente com produtos de qualidade comprovada, oriundos de empresas de renome no mercado.



A DIBRAPE dispõe de um veículo devidamente equipado com profissional capacitado para, não só realizar testes de Qualidade dos combustíveis nos postos, como também, orientar operadores e frentistas de como efetuar as análise, coleta e guarda das amostras por ocasião do recebimento.



Regularmente são procedidas visitas técnicas, tendo como objetivo avaliar a situação em que se encontram os equipamentos: fazendo as devidas manutenções preventivas e orientando os Clientes quanto a limpeza e conservação e manutenção da manifestação visual.


Nestas visitas são observados:

  • Testes de qualidade verificando: Gasolina, Etanol e Diesel 100% dentro das normas exigidas da ANP;
  • Bombas e filtros limpos e em bom estado e funcionamento;
  • Drenagem regular em tanques;
  • Limpeza nas bocas de descarga de produtos;
  • Troca de elementos filtrantes;
  • Regulagens e aferições de bombas;

ETANOL (EHC)

O Etanol comercializado nos Postos Revendedores é o Etanol etílico hidratado carburante (EHC) – conhecido como etanol hidratado. Utilizado como combustível nos automóveis com motores movidos a etanol ou nos veículos portadores da tecnologia flex, difere do etanol etílico anidro que é adicionado na gasolina pura tipo A para torná-la em tipo C – Tipo especificado pela ANP.
Enquanto o etanol anidro tem no mínimo 99,3% de pureza, o etanol hidratado, possui especificação de 92,6° a 94,7° de teor alcoólico INPM.

Após ter passado algumas décadas desvalorizado, com a escalada de preço do petróleo, o produto foi reconhecido como uma excelente fonte alternativa de energia, biodegradável, não poluente e principalmente, renovável. Atualmente a frota de veículos bi-combustível está em franca produção, atingindo nível superiores a 90% da produção brasileira.

GASOLINA

A gasolina é um combustível constituído basicamente por hidrocarbonetos (composto orgânicos que contém átomos de carbono e hidrogênio) e, em menor quantidade, por substâncias cuja fórmula química contém átomos de enxofre, nitrogênio, metais, e oxigênio, etc. A sua formulação pode demandar a utilização de diversas correntes nobres, oriundas do processamento do petróleo, como nafta leve, nafta craqueada (gasóleos), nafta reformada e nafta alcoilada.
A gasolina atualmente disponibilizada em nosso país para o consumidor final e que é comercializada pelos postos revendedores é aquela que possui compostos oxigenados em sua composição, normalmente, etanol etílico anidro.

Gasolina Comum Tipo C - É a gasolina comum que se encontra disponível nos postos revendedores para utilização em automóveis, motos, embarcações aquáticas, etc. Esta gasolina é preparada nas companhias distribuidoras com a adição de etanol etílico anidro, na proporção estabelecida pela legislação vigente.

Gasolina Comum Tipo C – Aditivada - As Companhias distribuidoras adicionam, na gasolina do tipo C, produtos aditivos que conferem à gasolina características especiais. Neste caso, a gasolina comum passa a ser comercializada como “GASOLINA C ADITIVADA” ou simplesmente, “ GASOLINA ADITIVADA”.
O Aditivo multifuncional adicionado na gasolina possui, entre outras, características detergentes e dispersantes e tem a finalidade de melhorar o desempenho do produto. O Aditivo contribui para minimizar a formação de depósitos no carburador e nos bicos infetores, assim como no coletor e hastes das válvulas de admissão. Esta gasolina recebe um corante que lhe confere uma cor distinta daquela apresentada pela gasolina comum.

A Gasolina aditivada, pelo seu alto poder detergente, é recomendado para veículos novos quanto todo o sistema ainda apresenta-se limpo, fazendo com que permaneça, mantendo os níveis de desempenho desejado.

Nos veículos que utilizam gasolina comum por um período de tempo prolongado, a mudança para um combustível aditivado, num primeiro momento, provocará a ocorrência de falhas, uma vez que o aditivo irá atuar nas partes internas de todo o sistema, tendendo a limpeza do mesmo. Esta mudança deverá acontecer de forma gradativa em cada abastecimento, permitindo que a limpeza do sistema ocorra de forma lenta, dando condições para que toda as impurezas sejam eliminadas no decorrer da queima.

ÓLEO DIESEL RODOVIÁRIO

Combustível derivado do petróleo, constituído basicamente por hidrocarbonetos, é um composto formado principalmente por átomos de carbono, hidrogênio e em baixas concentrações por enxofre, nitrogênio e oxigênio. É um produto inflamável, medianamente tóxico, volátil, límpido, isento de material em suspensão e com odor forte e característico.

O Óleo Diesel Rodoviário é utilizado em motores de combustão interna e ignição por compressão (motores do ciclo diesel) empregados nas mais diversas aplicações, tais como: caminhões, ônibus, furgões, máquinas em geral, locomotivas e aplicações estacionárias (geradores elétricos).

O Óleo Diesel Rodoviário recebe obrigatoriamente adição de Biodiesel em percentual mínimo de 5%, conforme resolução CNPE nº 06 de 16.09.2009 e é regulamentado pela Resolução ANP nº 65 de 09.12.2011, sendo classificado em:

- Óleo Diesel B S10 – tem como característica o baixíssimo teor de enxofre (apenas 10ppm) e foi desenvolvido para atender aos veículos que possuam motores com a tecnologia P7 (EURO 5). Todos os caminhões com mais de 3,5 Ton de capacidade de carga fabricados a partir de Jan/12 possuem essa tecnologia e devem utilizar obrigatoriamente este produto.

- Óleo Diesel B S500 – destinado a atender aos motores de máquinas e equipamentos em geral e aos caminhões fabricados antes de Jan/12 e/ou que não possuam motores com a tecnologia P7 (EURO 5).

ÓLEO DIESEL MARÍTIMO

Diferencia-se do diesel rodoviário por possuir ponto de fulgor superior a 60ºC e é destinado ao uso exclusivo nos motores de embarcações marítimas.

O Óleo Diesel Marítimo, diferente do rodoviário, não recebe adição de Biodiesel e é regulamentado pela Resolução ANP nº 52 de 29.12.2010.

ÓLEO XISTO

Produzido com a tecnologia da Petrobrás/SIX em São Mateus do Sul – PR, este óleo é obtido a partir da rocha de xisto betuminoso e é uma alternativa de energia para as indústrias que utilizam óleos combustíveis em seus processos de produção, substituindo produtos como Óleo Petroquímico, GLP, GNV, Lenha e Óleos Combustíveis 1A (BPF) com total segurança.

CARACTERÍSTICAS

Baixas Emissões: Suas propriedades reduzem a emissão de fuligem, fumaça e gases ácidos de enxofre, minimizando, a corrosão de dutos e chaminés e sendo indicado para consumo industrial em centros urbanos.

Alta Fluidez: A sua alta fluidez propicia facilidade no manuseio, além de reduzir ou eliminar a necessidade de pré-aquecimento diminuindo custos operacionais de queima, sendo ideal para regiões de clima frio.

Combustão Eficiente: A baixa viscosidade propicia uma combustão mais eficiente, com maior rendimento térmico e redução na emissão de particulados pesados que causam fumaça e fuligem.

Assistência Técnica: Oferecemos assessoria especializada para auxiliar na utilização do produto.

APLICAÇÕES

Óleo de Xisto tipo E – excelente alternativa para os óleos combustíveis OC-1A e 2A.

Óleo de Xisto tipo L – por ser bastante fluído, é alternativa para misturas combustíveis que usam diesel ou querosene.

CARACTERÍTICAS TÉCNICAS

    OTE OTL ou OTG
  Ponto de Fluidez, ºC +3 +9
  Viscosidade a 54,4 ºC, cSt 55 6
  Teor de enxofre, % 1,0 1,0
  Poder calorífico inferior, kcal/Kg 9.700 9.850
  Ponto de fulgor, ºC 85-90 66
  Densidade relativa, 20 ºC/4ºC 0,970 0,970

ACESSO RESTRITO

CLIENTES

Receber Eventos

Dibrape Distribuidora Brasileira de Petróleo | Rua Marcionilo dos Santos, 1450 | Guaramirim - SC | 89.270-000 Fone: (47) 3373-8060